Resident Evil 5 – Depois de arrebentar zumbis em RE e RE Code Veronica, Chris Redfield retorna na 5ª versão da série para arregaçar os miolos alheios num país esquecido por Deus no meio da África. Com gáficos perfeitos, chegando ao ponto de não ser possível distinguir o que é cena do jogo e o que é computação gráfica. E uma novidade: os inimigos do game podem ser qualquer coisa, menos zumbis.

Halo 3 – se as duas versões anteriores já eram motivo para comprar um X Box, a nova versão não seria diferente. Com o sugestivo slogan “Finish the Fight”, o jogo com a maior estratégia de mkt da história da indústria do entretenimento (lá fora, é claro) faturou na 1ª semana a bagatela de 300 milhões em vendas. Nem Star Wars, Senhor dos Anéis e Homem Aranha fizeram isso nas bilheterias. E ainda vem com legendas em português. Vale ou não vale a pena?

Gears of Wars – lançado há quase um ano, ainda se mantém firme e forte em qualquer lista dos melhores do console. Mesmo com uma história batida e clichê sobre invasão alienígena na Terra e blá blá blá, o que faz mesmo a diferença é a qualidade dos gráficos, a perfeição do som e a jogabilidade impressionante. Fora o multiplayer matador.

GTA 4 – Um dos maiores sucessos da história dos games, a série GTA sempre foi motivo de polêmica, sendo até culpada por “influenciar” adolescentes acéfalos a entrarem atirando nas escolas americanas. Se GTA San Andréas já era enorme, rumores dizem que a nova versão seria pelo menos 30 vezes maior, fazendo com que Liberty City (a cidade onde se passa o game, uma xerox de NY) seja quase do tamanho real da Big Aple.

Metal Gear 4 – Hideo Kojima ainda não confirma, mas também não desmente, os boatos de que sua obra prima também seja produzida para o console da Microsoft. Como a Sony está perdendo cada vez mais os jogos exclusivos que tinha antes para o Play 2 (Guitar Hero, Final Fantasy, Winning Elven, entre outros) na nova geração, não é muito difícil que isso venha a acontecer com a Kojima Productions. É esperar pra ver.

Anúncios