You are currently browsing the monthly archive for julho 2008.

Não foi o pior filme da minha vida. Mas também não seria daqueles filmes que eu levaria para uma ilha deserta. Mas a verdade é que faltou um “algo mais” no novo filme da saudosa série Arquivo X.

Não foi aquilo que eu esperava. Eu esperava algo do tipo final de temporada, pra gente ficar com o coração na boca e com o Galvão Bueno martelando na nossa cabeça “haaaaaaja coração!!!”. O que eu vi foi puxado mais para um episódio normal, daqueles que a gente assiste no meio da temporada e nem se preocupa se por acaso deixou de assisti-lo ou pegou o episódio pela metade.

Faltou feeling. Faltou relação com a série. O que vi foi apenas pequenas citações e referências passadas, coisa que só fã xiita perceberia. E faltou personagem. Faltou John Dogget e Mônica Reyes, e teve o Skinner que apareceu só no finalzinho, faltando uns 15 minutos de filme. E também senti falta dos Pistoleiros Solitários, do Mr. X, Alex Krycek, Diretor Kersh e até do Canceroso, todos que poderiam aparecer em flashbacks ou em um momento “I see dead people”, como no episódio final da série.

E a história então? Como já foi dito antes, não foi nenhum final de temporada, mas como o foco da série sempre foram os alienígenas, bem que poderia ser feito um filme com eles como tema, ainda mais se levarmos em consideração o episódio final da série, quando Mulder descobre a data exata da tão falada invasão, aquela que o Governo estaria escondendo da população. Seria legal ver a luta solitária de Mulder contra Deus e o mundo para evitar que isso acontecesse.

Mas não, o que eu vejo é uma história sem pé nem cabeça, em que um padre pedófilo tem visões a respeito de alguns desaparecimentos, até que descobrimos que os vilões são cientistas russos que seqüestram pessoas para criar um ser vivo com vários pedaços humanos (!!!), como um Frankestein moderno. No meio disso tem a Scully fazendo beicinho porque quer ajudar um paciente do hospital que ela trabalha e birrenta com o já citado padre pedófilo. E tem ela dando piti com o Mulder também.

Russos! A última vez em que os russos foram vilões no cinema foi em Rock IV (Ivan Drago, lembra?) e em Rambo III. Não tem uma coisa mais atual não? Até muçulmanos já estão fora de moda.

Se o ritmo continuar do jeito que está, daqui a uns 10 anos sai outro filme, e vamos ver onde essa merda vai dar.

**********
Férias chegando, participação nos lucros do banco que nem parece banco também. Isso pode significar dinheiro sobrando.

Alguém aí falou em tatuagem?

 

Um mês inteiro sem atender gente estúpida e ignorante. Um mês para botar em dia as séries que costumo assistir. Um mês jogando videogame sem parar. Um mês para comprar meu carro.

Faltam 3 semanas.

**********
Caralho. Alguém me traga uma água com açúcar. Repararam na felicidade da galera quando o Gambit aparece?

“ – E aí, já tirou a carta?”
 
“ – Ainda não, falta pouco”
 
“ – Vai tirar na raça ou vai pagar?”
 
“ – Pagar é para os fracos.”
 
Daí entra a imagem de um cavalo dando um coice no infeliz com quem eu tava conversando.
 
**********
Tenho que tirar o chapéu pro SBesteira. O Canal do titio Silvio Santos me surpreendeu dessa vez. Quando fiquei sabendo que ia ser exibido Grey´s Anatomy e Ugly Betty, eu já imaginava os nomes ridículos que a série teria aqui no mundo da TV aberta. “Um hospital muito louco”, “uma feia em NY” e até “Anatomia do Amor” pipocaram em minha cabeça como um dos possíveis títulos por essas bandas.
 
E não é que as séries são exibidas com os títulos originais? Dei um tiro no pé dessa vez.
 
**********
Mas nem tudo são flores. Alguém aí já assistiu algum episódio das já citadas séries? Reparou na dublagem? O horror, o horror…
 
***********
Com a estréia do novo filme da melhor série já existente, assim na Terra como no Céu, um querido site (leitura diária e recomendada por esse velho escriba), publicou uma pequena lista com 10 episódios para assistir antes do filme.
 
**********
Nerd que é nerd já deve ter tido, pelo menos, um pensamento poluído e impublicável com a Scully. Aqui vão algumas fotos pra relembrar esse tempo bom, que não volta nunca mais.
 
**********
A trilogia de filmes sobre o jogo Resident Evil todos conhecem, certo? Mas essa eu nem sabia: a Capcom produziu um longa metragem em animação expandindo mais ainda a saga, que será lançado direto pra DVD no final do ano. Veja o trailer aqui.
 
**********
Não dá. Posso ganhar algumas, mas no geral eu mais perco do que ganho. Sinceramente, jogo de tiro no teclado+mouse não dá.
 
**********
E por falar em jogos, é como dizia aquela música do The Chash: Should I stay or should I go?
 
Não é todo dia que a gente vê um campeonato desse naipe.
 
**********
Psicopatas. Porque elas existem?
 
**********
E a Harmonix divulgou o set list do jogão Rock Band 2. Fiquei mais feliz com o terceiro parágrafo, que me deixou de certa forma mais calmo. Afinal, o leitor mais antigo sabe como investi no primeiro game da (agora anunciada) franquia musical.
 
**********
Segunda feira. No meu novo celular (que faz de tudo, até ligação), sintonizo a Kiss FM. Daí toca uma música que me fez lembra de Seinfeld. Não por ela ter tocado em algum episódio, mas sim pela bizarra semelhança com o protagonista da melhor série de comédia que já tive o prazer de assistir.


 
**********
E por falar em Seinfeld, é a quinta temporada da série que bomba no aparelho de DVD, porém somente aos finais de semana, pra assistir ao lado da patroa.
 
Sabe qual é? É aquela da camisa de pirata (I don´t wanna be a pirate!), aquela que George finge ser um biólogo marítimo por uma garota, tem aquele episódio com o cara que conversa perto demais do rosto dos outros, aquele que George entra numa piscina fria e sua namorada vê ele com o pau todo encolhido, lembra?
 
**********
Sábado é dia de ir no teatro com a patroa e com amigos do trabalho.
Sim, você leu direito. E isso por que eu sigo à risca meu mantra de que os mundo não podem se chocar. Imagina se eu não seguisse. Ia ter colega de trabalho ligando pra minha namorada convidando pra ir no forró juntas.
 
**********
Vamô lá gente, continuem assim. Só não vale ficar dando F5 direto no blog.

Eu amo meus leitores. Sério. É a minha forma de agradecer a vocês, que devem ter merda na cabeça, pois ficam acessando o blog todos os dias, mesmo quando o último post foi ha uma semana.

 

Obrigado. E tem pílula nova amanhã. Juro.

Quem é fã de filmes de terror já sabe: o mal adora viajar junto com suas vítimas. Portanto se você for sair de sua cidade com seus amigos e não quer correr o risco de sofrer qualquer tipo de morte ou mutilação, existem cinco passos que você deve seguir de uma fonte muito confiável: Os slashers.

 

“Slash não era aquele guitarrista do Guns?”, pergunta o moleque sebento da terceira fileira com uma camiseta do Metallica. “Não besta, é Slasher porra!”. Slasher Movie é aquele tipo de filme em que um assassino, geralmente mascarado, persegue um bando de adolescentes retardados durante um filme inteiro. Sexta feira 13, Halloween e Pânico são um dos exemplos.

 

O texto abaixo é uma tradução porca do site Cracked. Sim, eu sei, o ócio ainda não sai do meu pé.

 

Passo 1: Escolhendo o Local

Muitos de seus colegas do trabalho prefeririam ficar em casa ou ter umas férias clássicas como uma viagem para o Litoral Paulista. Mas que caralho! Se você quer que suas férias sejam realmente especiais, você e seus amigos precisam escolher um lugar mais estranho o possível.

 

Algumas coisas para colocar na mente:

 

Hotéis: Quanto mais barato e com menos habitantes por metro quadrado, melhor. É mais autêntico assim. Albergues também são uma boa pedida, assim como casas no meio do mato ou em acampamentos com uma lago enorme na frente. Nesse caso, não ligue para as histórias de que um moleque morreu afogado por lá anos atrás.


Atividades: Você pode pensar que estes locais estão abandonados porque eles são monótonos. Pelo contrário, muitos destes lugares desolados são cheios de diversões potenciais se você souber aonde olhar. Por exemplo, as ruinas ancestrais astecas são um excelente lugar para se divertir com seus amigos, bem como cavernas abandonadas e minas apertadas em geral.

 

Passo 2: Selecionando os Companheiros de Viagem

Primeiro de tudo, se você tiver algum amigo negão, você provavelmente deveria trazê-lo. Não mais do que um, mas pelo menos um. Isto tende a trazer os outros a sua volta, pois eles assim saberão que você não é racista. Ele pode se comportar como um boi num rio cheio de piranhas, alertando-o sobre tudo o que pode acontecer com o seu grupo, porque certamente ele será o primeiro a ter uma faca enterrada em sua garganta.


Veja também se você consegue coagir uma biscate da sua faculdade ou local de trabalho para ir com você.

 

Não apenas ela será mais um boi de piranha, mas um boi que corre muito! Estas garotas só não são mais aborrecedoras porque normalmente são muito gostosas e por algum motivo isso as torna mais difíceis de matar.


Alguém do seu grupo deve ser o tipo de cara que todos os outros odeiam, mas é o tipo que sempre sai com você por um motivo ou outro, e se você não tem um amigo assim pode apostar que essa pessoa horrível é você e nem se deu conta disso. Em todo caso, leve-o! Estes babacas podem ser bem irritantes, mas você terá grandes chances de se livrar dele quando seu sangue espirrará na cara de uma das vagabas que ele invariavelmente está comendo.

 

E não vamos esquecer do gordinho. E todo mundo sabe o que acontece com o gordinho nos filmes slashers.


Resumindo, um negão, um grandalhão babaca, um gordinho e quantas vagabundas você conseguir amontoar no seu carro.


Passo 3: Bagagem

A maior parte das pessoas tendem a carregar bagagem demais ou esquecer de certos itens que poderiam ser cruciais para aproveitar as férias. Aqui há uma pequena lista de alguns itens necessários e outros totalmente descartáveis para trazer em sua viagem.


Necessário: Roupas com decotes/sungas/biquínis. Em caso de emergência, é de suma importância que você consiga se mover livremente e não superaquecer, além disso, não há razão alguma de vestir uma camiseta completa.

 

Desnecessário: Celulares que funcionam. Você quer se livrar da modernidade, certo? Por que arruinar a viagem levando qualquer coisa que lhe permita ter contato com o mundo exterior? Realmente, o que de ruim pode acontecer?

 

Desnecessário: Kits de Primeiro-Socorros

 

Necessário: Drogas. Se você está indo para o Leste Europeu você pode pegar drogas por lá mesmo, senão você deve levar sua própria erva e/ou ecstasy. Em geral, porém, você deveria tentar de tudo para conseguir drogas na primeira vista, de preferência de um estranho generoso.

 

Desnecessário: Pneus Estepe. Se caso você quebrar em alguma cidade fora do mapa, os habitantes locais terão o maior prazer de ajudar você.

Passo 4: Lidando com os Habitantes Locais
Normalmente os essas pessoas são semi-retardadas, suspeitamente amigas e dão muita risada sem o menor motivo aparente.


Lembre-se que você é um estudante colegial e ao menos que eles queiram te deixar loucão ou fazer sexo com você, não há razão em você se interessar por eles. Algum deles está tentando te alertar para algo, dizendo que pra onde você vai mora um maníaco homicida? Não se preocupe, essas pessoas são sempre mais supersticiosas nesta área.

 

Por outro lado, se você for mais do tipo social, os albergues do Leste Europeu e raves em ilhas desertas são excelentes locais para se encontrar mulheres sobrenaturalmente gostosas e emocionalmente vazias.

 

Tente não pensar muito o porquê de elas serem tão legais com você. Elas provavelmente amam americanos. Tome vantagem em tudo o que elas querem dar (literalmente dizendo) para você e os siga para os impressionantes locais que lhe disserem, não se esqueça de lhes fornecer uma cópia da chave do seu quarto.

 

Passo 5: Gerenciando Emergências

No caso extremo de algum evento ruim acontecer na sua viagem, existem alguns passos basicos que você deve seguir para sair dessa desagradável situação sem nenhum arranhão.


Dividam-se: Grupos grandes fazem alvos fáceis e um assassino teoricamente não pode cobrir uma área larga com um bando de pessoas andando em direções diferentes. Organize seu grupo de modo que todos andem pra onde quiserem. Desta maneira, pela lei do mais forte, pelo menos uma pessoa é garantida de sair viva. E vocÊ vai querer ser essa pessoa.

Corra sem um alvo: Se você ficar em um lugar parado, você nunca vai sair daquele lugar. O melhor jeito de encontrar uma saída é correr em círculos até achar uma. Não tente pensar para onde está indo realmente, siga seus instintos e rompa em qualquer porta aleatória que você passar. A não ser que fique encurralado, neste caso encontre um lugar bem óbvio para se esconder.

 

 

Grite até sua cabeça cair: Não apenas vai te fazer sentir melhor, mas vai atrair a atenção dos desconhecidos amigos locais que certamente vão te tirar do perigo em segurança. E também, se estiver encurralado sem chance de sair, saibam que a maioria das pessoas, mesmo sociopatas violentos, tendem a responder bem aos pedidos clamando misericórdia. Juro.


Não seja paranóico – Se o assassino está caído inerte com a arma ainda na mão, é porque provavelmente está morto. Se não estiver com 100% de certeza, apenas chegue mais perto e tome o pulso.

 

E se tudo der errado?

Não tenha medo de decepar uma de suas mãos e pôr uma motosserra no lugar.

Enquanto o ócio me acompanha e eu não tenho nada pra dizer nesse espaço esquecido por deus (assim, no minúsculo mesmo – vamos ver o que ele acha disso!), acessem minha lista de blogs aí do lado.

 

Quem conhece a brincadeira já sabe que só não vale clicar aqui.

Caralho. É o que eu tenho a dizer sobre isso. Caralho.

“Nessa noite houve novamente leitura e audição, não tinham outra maneira de se distraírem, lástima que o médico não fosse, por exemplo, violinista amador, que doces serenatas poderiam então ouvir-se nesse quinto andar, os vizinhos invejosos diriam, Aqueles, ou lhes corre bem a vida, ou são uns inconscientes e julgam poder fugir à desgraça rindo-se da desgraça dos mais.Agora não há outra música senão a das palavras, e essas, sobretudo as que estão nos livros, são discretas, ainda que a curiosidade trouxesse a escutar à porta alguém do prédio, não ouviria mais do que um murmúrio solitário, este longo fio de som que poderá infinitamente prolongar-se, porque os livros do mundo, todos juntos, são como dizem que é o universo, infinitos. Quando a leitura terminou, noite adentro, o velho da venda preta disse, A isto estamos reduzidos, a ouvir ler, Eu não me queixo, poderia ficar assim para sempre, disse a rapariga dos óculos escuros,  Nem eu estou a me queixar, só digo que apenas servimos para isto, para ouvir ler a história de uma humanidade que antes de nós existiu, aproveitamos o acaso de haver aqui ainda uns olhos lúcidos, os últimos que restam, se um dia eles se apagarem, não quero nem pensar, então o fio que nos une a essa humanidade partir-se-á, será como se estivéssemos a afastar-nos um dos outros no espaço, para sempre, e tão cegos eles como nós, Enquanto puder, disse a rapariga dos óculos escuros, manterei a esperança, a esperança de vir a encontrar meus pais, a esperança de que a mãe deste rapaz apareça, Esqueceste-te de falar da esperança de todos, Qual, a de recuperar a vista, Há esperanças que é loucura ter, pois eu digo-te que se não fossem essas eu já teria desistido da vida, Dá-me um exemplo, Voltar a ver, Esse já conhecemos, dá-me outro, Não dou, Porquê, Não te interessa, E como sabes que não me interessa, que julgas tu conhecer de mim para decidires, por tua conta, o que me interessa e o que não me interessa, Não te zangues, não tive a intenção de magoar-te,  Os homens são todos iguais, pensam que basta ter nascido de uma barriga de mulher para saber tudo de mulheres, Eu de mulheres sei pouco, de ti nada, e quanto a homem, para mim, ao tempo que isso vai, agora sou um velho, e zarolho, além de cego, Não tens mais nada para dizeres contra ti, Muito mais, nem tu imaginas quanto a lista negra das auto-recriminações vai crescendo à medida que os anos passam, Nova sou eu, e já estou bem servida, Ainda não fizeste nada de verdadeiramente mau, Como podes sabê-lo, se nunca viveste comigo, Sim, nunca vivi contigo, Por que repetiste nesse tom as minhas palavras, Que tom, Esse, Só disse que nunca vivi contigo, O tom, o tom, não finjas que não compreendes, Não insistas, peço-te, Insisto preciso saber, Voltamos às esperanças, Pois voltemos, O outro exemplo de esperança que me recusei a dar era esse, Esse, qual, A última auto-recriminação da minha lista, Explica-te, por favor, não entendo de charadas, O monstruoso desejo de que não venhamos a recuperar a vista, Porquê, Para continuarmos a viver assim, Queres dizer, todos juntos, ou tu comigo, Não me obrigues a responder, Se fosses só um homem poderias fugir à resposta, como todos fazem, mas tu mesmo disseste que és um velho, e um velho, se ter vivido tanto tem algum sentido, não deveria virar a cara à verdade, responde, Eu contigo, E por que queres tu viver comigo, Esperas que o diga diante de todos eles, Fizemos uns diante dos outros as coisas mais sujas, mais feias, mais repugnantes, com certeza não é pior o que tens para me dizer-me, Já que o queres, então seja, porque o homem que eu ainda sou gosta da mulher que tu és, Custou assim tanto a fazer a declaração de amor, Na minha idade, o ridículo mete medo, Não foste ridículo, Esqueçamos isto, peço-te, Não tenciono esquecer nem deixar que esqueças, É um disparate, obrigaste-me a falar, e agora, E agora é a minha vez, Não digas nada de que te possas arrepender, lembra-te da lista negra, Se eu estiver a ser sincera hoje, que importa que tenha de arrepender-me amanhã, Cala-te, Tu queres viver comigo e eu quero viver contigo, Estás doida, Passaremos a viver juntos aqui, como um casal, e juntos continuaremos a viver se tivermos de nos separar dos nosso amigos, dois cegos devem poder ver mais do que um, É uma loucura, tu não gostas de mim, Que é isso de gostar, eu nunca gostei de ninguém, só me deitei com homens, Estás a dar-me razão, Não estou, Falaste de sinceridade, responde-me então se é mesmo verdade gostares de mim, Gosto o suficiente para querer estar contigo, e isto é a primeira vez que digo a alguém, Também não mo dirias a mim se me tivesses encontrado antes por aí, um homem de idade, meio calvo, de cabelos brancos, com uma pala num olho e uma catarata no outro, A mulher que eu então era não o diria, reconheço, quem o disse foi a mulher que sou hoje, Veremos então o que terá para dizer a mulher que serás amanhã, Pões-me à prova, Que idéia, quem seria eu para pôr-te à prova, a vida é que decide essas coisas, Uma ela já decidiu.

 

Tiveram esta conversa frente a frente, os olhos cegos de um fitos nos olhos cegos do outro, os rostos encendidos e veementes, e quando, por tê-lo dito um deles e por o quererem os dois, concordaram que a vida tinha decidido que passassem a viver juntos, a rapariga dos óculos escuros estendeu as mãos, simplesmente para as dar, e não para saber por onde ia, tocou as mãos do velho da venda preta, que a atraiu suavemente para si, e assim ficaram sentados os dois, juntos, não era a primeira vez, claro está, mas agora tinham sido ditas as palavras de recebimento. Nenhum dos outros fez comentários, nenhum deu parabéns, nenhum exprimiu votos de felicidade eterna, em verdade o tempo não está para festejos e ilusões, e quando as decisões são tão graves como esta parece ter sido, não surpreenderia até que alguém tivesse pensado que é preciso ser-se cego para comportar-se desta maneira, o silêncio ainda é o melhor aplauso. O que a mulher do médico fez foi estender no corredor uns quantos coxins dos sofás, suficientes para improvisar uma cama, depois levou para lá o rapazinho estrábico e disse-lhe, A partir de hoje passas a dormir aqui. Quanto ao que aconteceu na sala, tudo indica que nesta primeira noite terá ficado finalmente esclarecido o caso da mão misteriosa que lavou as costas do velho da venda preta naquela manhã em que correram tantas águas, todas elas lutrais.”

 

Ensaio sobre a cegueira, pg 289

Não foi Chico Xavier quem disse, mas bem que poderia ter sido ele: a saudade que sentimos de algumas pessoas é proporcional ao tempo que ficamos sem vê-las.

 

Essa é para algumas pessoas que vi hoje, que (como de costume) não citarei os nomes. Elas saberão que estou falando delas quando lerem isso.

 

********** 

Sabe aquela enorme pequena sensação de que aquela pessoa está mentindo ou escondendo algo de você? Então.

 

********** 

Admirável Mundo Novo. R2D2. Apple. O mito da caverna, de Platão. 2001: Uma Odisséia no Espaço. Charles Chaplin. 1984. Crítica à sociedade de consumo. Obesidade. Johnny 5.

 

As citações e referências acima são as que consegui identificar de primeira assistindo Wall-E, que corre o risco de ser o melhor filme que assisti nesse ano. Se assistir o filme mais uma vez, talvez consiga perceber mais delas.

 

********** 

Se algo que Rock Band e Guitar Hero tem em comum, é a opção de baixar novas músicas para tocar/jogar. Semelhante também é o sistema de pacotes, reunindo 3 músicas de um mesmo estilo ou banda a um preço camarada. Pacote Punk, Pacote do Metallica, Pacote Pop e por aí vai.

 

Pensando nisso, aqui vai minha sugestão para um futuro pacote, carinhosamente nomeado como pacote-gostosas-que-cantam-berrando-pra-caralho-feito-doidas. Com certeza eu compraria.

 

My Ruin – Made to measure 

 

 

Arch Enemy – Revolution Begins 

 

 

 

Eths – Crucifére 

 

 

Mais de 1/4 de século vivido, formado em publicidade e amante de games, música e pop!

Na estante

tripulacao-de-eaqueletos-stephen-king

Twitter

julho 2008
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031